(73) 9973-2611(73) 9971-5736(73) 9999-60790

Notícias do mercado imobiliário

Investir em imóveis:

 Quanto tempo é necessário para recuperar o dinheiro em 4 capitais?


 Com Selic na mínima histórica (6,5%), o investimento em renda fixa atrelado à taxa básica de juros perde atratividade. No Brasil, país patrimonialista por tradição, esta é uma receita que fatalmente alimenta a busca pelo investimento imobiliário.

Para quem pode adquirir à vista, um imóvel realmente pode ter voltado a ser opção vantajosa em um momento como o atual. O investidor precisa, contudo, estar absolutamente ciente da demora para realmente obter algum retorno com este ativo.

Um levantamento do Imovelweb enviado ao InfoMoney com exclusividade mediu os valores médios de compra de apartamento em quatro capitais brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Brasília. Depois, comparou os valores de aluguel para estas mesmas cidades para descobrir quanto tempo é necessário para obter de volta o investimento inicial após locar o imóvel.

De acordo com a análise do portal, Brasília tem o maior preço médio para apartamentos entre estas 4 localidades: R$ 7.910,00 por metro quadrado, seguido por São Paulo (R$ 6.014,00) e Rio de Janeiro (R$ 5.931,00). Curitiba, portanto, apresentou o preço médio mais baixo nesta comparação, em R$ 4.620,00 por metro quadrado. Todos os valores são referentes a apartamentos com dois dormitórios e 65 metros quadrados.

Também Brasília apresenta os maiores valores de locação para o mesmo padrão de imóvel. A média para os apartamentos avaliados pelo Imovelweb foi de R$ 2.286, o que coroou a capital federal como a melhor rentabilidade entre as cidades analisadas. São necessários 17 anos para um investidor recuperar este investimento, se conseguir mantê-lo locado constantemente.

Com aluguel médio de R$ 1.715, São Paulo tem média de 18,4 anos, ficando em segundo lugar. Rio e Curitiba são as cidades com menor rentabilidade, são necessários 23 e 25 anos respectivamente para recuperar o investimento.

Necessário lembrar que, além de considerar um imóvel locado durante todo o período, o que é pouco provável, a matemática desta pesquisa desconsidera eventuais gastos com reformas, manutenção e documentação, que às vezes podem ser relevantes para bens deste porte. Na prática, esta estimativa provavelmente está fora da realidade, a não ser que se consiga comprar o imóvel com um bom desconto ou locar por valor acima da média. 




Fonte: InfoMoney

20/08/18

Últimas notícias